Projeto do Nucciber é apresentado a Promotores do interior em reunião que discutiu segurança na rede

23ago13ReuniaoNucciber3“A internet é um ambiente público. É preciso entender isso antes de atuar, seja pessoal, seja profissionalmente, no meio virtual”. A declaração do promotor de Justiça Ivan Machado, coordenador do Núcleo de Combate aos Crimes Cibernéticos (Nucciber), resume a essência do ‘Projeto Nuncciber’, lançado oficialmente na última sexta-feira, 23, na sede do Ministério Público do Estado da Bahia, no CAB. Parte das ações da Gestão Estratégica do MP, a estruturação do Nucciber cumpre um papel importante na instituição, capacitando membros e servidores para que sejam “indutores de transformações sociais”, destacou o coordenador da Gestão, promotor de Justiça Marcelo Guedes.

Além do lançamento do projeto, o encontro foi marcado pela apresentação das peças publicitárias 23ago13ReuniaoNucciber4de divulgação do Nucciber e por uma palestra do professor Edilmar Costa de Melo, coordenador de Inteligência da Superintendência Estadual de Pernambuco da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). As peças de propaganda produzidas incluem cartazes, cartilhas, spots de rádio, folderes, comerciais de TV, além de uma ação institucional a ser realizada nas ruas de Salvador. Todo o trabalho publicitário realizado pela Central de Comunicação Integrada do MP (Cecom) foi norteado pela ideia de que “o ambiente virtual é também um ambiente público”, reforçou Ivan Machado, que, assessorado pelo analista de publicidade do MP, Otávio Filho, apresentou as peças para os membros e servidores presentes.

23ago13ReuniaoNucciber1Buscando atender a uma das diretrizes da criação do Nucciber, a de realizar estudos e pesquisas voltados para a produção, orientação e divulgação de informações quanto à utilização segura da internet, a palestra do professor Edilmar Costa de Melo abordou procedimentos de segurança que devem ser adotados por todos que trafegam informação na rede mundial de computadores, sobretudo quando se trata de salvaguardar assuntos sigilosos. “Seguindo normas básicas, que por vezes podem parecer até óbvias, somos capazes de obstruir a maior parte das tentativas desautorizadas de uso dos nossos dados”, destacou o especialista em inteligência, que listou como fundamentais a utilização de um antivírus sempre atualizado, a adoção de senhas diferentes para todos os e-mails ou aparelhos de acesso à rede, a utilização de firewalls, backups e antispywares. Afim de justificar a necessidade crescente da adoção de todas as medidas de prevenção, o professor falou sobre os golpes mais comuns aplicados na rede, as diversas formas de interceptação desautorizada de comunicações, a exemplo de escutas nos aparelhos e propagação de vírus por meio de sincronização via bluetooth. “A única forma segura de acesso é a criptografia dos dados”, destacou o professor Edilmar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *