Compras pela internet: sete dicas para sua segurança

Saiba como evitar golpes e problemas com sites de compras

Mais práticas e rápidas, as compras pela internet caíram no gosto dos brasileiros. De acordo com a E-bit, empresa especializada em informações do comércio eletrônico, no primeiro semestre de 2014 as vendas via rede registraram um crescimento de 26% em relação ao mesmo período do ano passado. A participação dos dispositivos móveis no total subiu 84% no período de um ano.

Promoções, variedade de produtos, entrega em casa, muitas vezes com frete grátis, além da facilidade de pesquisa, são alguns dos fatores que vêm contribuindo para que o consumidor opte pela compra na rede.

Mas o universo online nem sempre é tão seguro quanto parece. “Os riscos de se comprar pela internet são os mesmos de uma loja física”, avalia Elizabeth Andreolli, coordenadora do Comitê de Varejo da Camara-e.net. “Há criminosos especializados em criar falsas lojas virtuais para iludir os consumidores com ofertas especiais e não cumprem o que prometem”, comenta Maurício Salvador, presidente da ABComm  (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico).

Pesquisar a reputação da loja ou site, imprimir o e-mail de confirmação da compra e manter o computador livre de vírus são algumas das dicas. Confira o que você pode fazer para se proteger de golpes.

1 – Desconfie de ofertas muito boas
Entre as vantagens de se comprar pela internet estão a rapidez e a facilidade no processo, além de você poder fazer a comparação de preço e pesquisar as melhores ofertas. Mas é importante usar o bom senso. “Ofertas milagrosas ou muito diferentes dos preços praticados no mercado podem trazer armadilhas para o comprador”, alerta Elizabeth.

2 – Veja a reputação da loja ou site
“Em 90% dos casos em que há problemas, as pessoas só tentam consultar sobre o site quando não recebem o produto ou tem algum problema com a compra”, conta Cyllas Elia, CEO da 00K, empresa desenvolvedora de plataforma de automação de gestão para lojas virtuais. Por isso, a primeira orientação para realizar uma compra online é pesquisar sobre a reputação da loja ou site que você escolheu. É possível acessar o site do Procon e verificar os sites não recomendados. Outra dica é entrar na página, checar se ela tem o selo de segurança do e-bit (que analisa os vendedores por uma série de critérios técnicos) e se tem boa avaliação em sites de reclamações dos consumidores.

Além disso, é recomendado fazer contato telefônico com a loja e verificar se ela tem endereço, telefone fixo ou filial física. Outro conselho é observar informações como razão social, CNPJ e confirmar esses dados no site da Receita Federal. “Se a situação estiver ‘baixada’, ‘cancelada’ ou ‘inativa’, desista da compra”, sugere Elizabeth.

3 – Só compre em sites certificados
Se for usar cartão de crédito ou débito, o usuário deve dar preferência para lojas ou facilitadores (sites intermediários de pagamento) que estejam certificados pelo padrão PCI DSS (Payment Card Industry Data Security Standard). Esta norma internacional estabelece as melhores práticas estabelecidas pela indústria de cartões de pagamento. Ela é uma garantia para o consumidor de que os dados de cartão serão comunicados pela internet até as operadoras por meio de conexões seguras. “Vale notar que, para viabilizar o pagamento em um clique ou pagamentos recorrentes (assinatura), as lojas devem armazenar os dados de cartão e, para isto, é imprescindível a certificação da loja à norma PCI DSS”, explica Jerome Pays, diretor de e-Commerce da Lyra Network.

Para saber se a loja possui o certificado, a página de pagamento deve exibir o logotipo PCI DSS.

4 – Escolha bem a forma de pagamento
Se observar um lançamento fraudulento na sua fatura de cartão de crédito, basta ao consumidor entrar em contato com seu banco e contestar a transação. Esse processo é conhecido como charge back para os lojistas, que devem ressarcir o consumidor.

Ao contrário do que se pensa, o boleto não é 100% seguro. Houve, nesse ano, uma nova modalidade de fraude baseada neste meio de pagamento, que alterava, por meio de um vírus, o código do boleto relacionado à conta de destino dos pagamentos. Além disso, se o lojista for uma fraude e não entregar o produto, não importa qual tenha sido o meio de pagamento – o prejuízo será o mesmo.

“O meio de pagamento mais seguro, tanto para o consumidor quanto para o lojista, é o pagamento 3D Secure”, explica Jerome. Este pagamento consiste em adicionar uma etapa na finalização da compra: o banco emissor do cartão usado é envolvido para autenticar o usuário por meio de token e senha, no caso de cartão de débito.

5 – Cuidado com vírus
Vírus de computador podem roubar dados digitados em sites de compras. Por isso, tenha sempre antivírus, antispyware e firewall atualizados para evitar que qualquer usuário mal-intencionado tenha acesso a suas informações.

Além disso, não utilize computadores públicos para realizar compras.

6 – Verifique a conexão de segurança
Verifique se a loja possui conexão de segurança nas páginas em que são informados os dados pessoais do cliente como nome, endereço, documentos e número do cartão de crédito. Geralmente essas páginas são iniciadas por https:// e com o cadeado ativado (ícone visualizado em uma das extremidades da página). Clique no cadeado e observe se a informação do certificado corresponde ao endereço na barra de navegação do computador. Se não corresponder, desconfie.

7 – Imprima sua confirmação
Segundo Elizabeth, o ideal é imprimir todos os passos da compra, inclusive o e-mail de confirmação, para evitar problemas caso ocorra algum problema com a compra. Se quiser ser mais ecológico, pode fazer umprint screen e guardar a informação como arquivo de imagem no seu computador. O importante é manter os dados.

 

Fonte: http://tecnologia.terra.com.br/inovacoes-tecnologicas/compras-pela-internet-sete-dicas-para-sua-seguranca,99527d5a23588410VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *